Hoje Rob Liefeld faz 50 anos (atualizado) e metade desses anos dedicados aos Quadrinhos. Vamos falar um pouco sobre a carreira desse amado/odiado controverso, artista.

Rob Liefeld (Los Angeles, Estados Unidos, 3 de outubro de 1967 ) começou sua carreira de sucesso na DC como artista da Mini série  Rapina e Columba. Seu estilo jovial e dinâmico, deu-lhe muita atenção positiva e seu nome começou a ficar conhecido. Mas ele teve que esperar  que pudesse se estabelecer no mercado dos Comics até o final dos anos 80 e começo dos 90  onde começou a crescer com seu trabalho em Novos Mutantes, uma série da Marvel que estava em baixa antes de sua chegada. Ele redesenhou alguns personagens e introduziu outros que instantaneamente  se tornaram favoritos dos fãs  como Cable, o mentor do time vindo do futuro, Dominó, uma mercenária trabalhando com Cable, e Deadpool outro mercenário trabalhando pra Tolliver, um misterioso empresário tentando matar Cable por algum motivo.

Com seu sucesso em Novos Mutantes, Marvel decidiu deixar Liefeld levar o time numa nova direção: X-Force. 1 milhão de exemplares da primeira edição foram vendidas. Os personagens eram descolados e as histórias eram mais bombásticas do que nos outros X-Títulos; O Objetivo da X-Force era procurar e atacar os super vilões ao invés de esperar por eles. Liefeld Co-escreveu (ao lado de Fabian Nicieza) e desenhou as primeiras edições.

Em 1992, Liefeld decidiu deixar a Marvel e criar a Image Comics  junto com alguns de seus colegas artistas ( Jim Lee, Todd Mcfarlane, Eric larsen, Jim Valentino, Whilce Portacio e Marc Silvestre). Ele Fundou o Extreme Studious e ( uma divisão dentro da editora.  Todos tinham seus próprios estúdios, possuindo seus próprios personagens que eram vendidos sob um mesmo selo, o selo Image.) e criou títulos bem vendidos como YoungBlood, Brigade e Prophet entre outros.

New Mutants

Durante seu período recebeu alguns detratores e algumas críticas negativas, incluindo algumas charges que diziam que ele copiava quadros de outros artistas. E nos negócios  alguns títulos atrasavam demais ou as vezes nunca chegavam, o que deixava os distribuidores furiosos. No entanto, ele continuou a criar títulos que conseguiam atrair os fãs. Enquanto na Image, Extreme Studios fornecia um holofote para vários novos artistas jovens como Jeff Matsuda (Newmen), Stephen Platt (Prophet), Marat Mychaels (Brigada), bem como uma forte time de arte-finalistas como Danny Miki, Jon Sibal, Norm Rapmund, e Marlo Alquiza.

 

YougBlood

No meio disso Liefeld fundou a Maximum Press, separado da Image, que segundo ele  queria explorar novas direções. Esta ação teria levado ao seu fim na Image. Irritando muito os outros fundadores que pensavam que isso esteria arruinando a editora. Liefeld acabou sendo expulso numa reunião em que os outros membros votaram por sua saída.  Ambnos os lados se processaram em milhões de dólares, chegaram depois a uma resolução em particular  e nenhuma das partes comenta o assunto até hoje.

Em 1996, Marvel pediu a Liefeld e Jim Lee ajuda para revitalizar algumas séries icônicas como Capitão America, Quarteto Fantástico, Homem de Ferro e Vingadores após a saga Massacre.

 

Heroes Reborn (Um projeto de 12 edições): Num Universo alternativo recontando as origens das equipes e personagens.  Liefeld ficou com Cap e Vingadores enquanto Lee trabalhou em Quarteto e Homem de Ferro.

Após 6 controversas edições, incluindo a mais bem vendida edição de Capitão America de todos os tempos, o run de Liefeld na série se encerrou. E no meio de uma turbulência financeira onde a Marvel chegou a declarar falência, A companhia tentou renegociar os termos do contrato  com Lee e Liefeld oferecendo um montante menor de dinheiro pelo projeto. Lee aceitou a revisão dos termos do negócio enquanto Liefeld recusou passando seus títulos pro estúdio de seu colega.

Seguindo o fim de seu retorno a Marvel e do Maximum Press, a Awesome Entertainment surgiu. Jeph Loeb foi uma grande parte disso bem como talentos emergentes como Ian Churchil e Keron Grant.  Youngblood e Supreme foram revitalizados por Alan Mooore e Steve Skroce e foram aclamados pela crítica. The Coven foi um grande sucesso nas mãos de Churchil e Loeb. Kaboom de Jeff Matsuda recebeu boas críticas e vendeu bem. Rob Liefeld voltou a desenhar  na série Re: Gex e em Fighting America. Fighting America teve algumas mini séries que foram bem recebidas. Incluindo uma escrita por Jim Starling e ilustrada por Stephen Plat. Apesar do sucesso de críticas as vendas começaram a cair na segunda metade dos anos 90, Awesome foi forçada a fechar suas portas pós os investidores começarem a abandonar o barco ao ver que não tinham o retorno de capital almejado e muitas daquelas séries encontraram o seu fim.

Marvel o chamou de volta novamente pra trabalhar em Cable.

ele desenhou 3 edições durante o evento intitulado:  “A saga dos 12.”Ele também trabalhou em 2 edições de wolverine onde introduziu alguns personagens novos.

No final de 2006 Liefeld trabalhou numa miniserie da X-Force. A mini série vendeu bem o que garantiu a ele outro projeto na Marvel. Onslaught Reborn (Massacre Renasce) uma minisérie de 5 partes que serviu de sequencia pra Heroes Reborn (Heróis Renascem), e surgiu dos eventos em Onslaught Saga (Massacre), House of M (Dinastia M.), e Fatal Atractions ( Atrações fatais). As duas primeiras edições venderam instantaneamente, provando seu poder e popularidade na industria mais uma vez.

 

Em 2010 Liefeld desenhou muitas edições de Deadpool, sua criação  pra Marvel inspirada no Exterminador da DC.

Mais tarde Liefeld foi pra DC Comics onde ficou responsável por Exterminador, Gavião Negro e Grifter. Liefeld também desenhou Rapina e Columba  que foi cancelado na edição 8 e ficou conhecido como a  edição menos vendida dos New 52.

Liefeld abandonou a DC posteriormente alegando diferenças com o Editor Brian Smith. Ele fez declarações em seu Twitter reclamando que seu material era frequentemente re-escrito pelos editores da DC (por que será?)

Robert Kirkman e Liefeld

Rob finalmente retorna a Image a companhia que ajudou a fundar. Iniciando um trabalho com o criador de Walking Dead, Robert Kirkman chamado Infinity, mas  depois de algumas edições e alguns problemas o projeto foi cancelado. Liefeld novamente alegou diferenças com Kirkman. Reclamou que Kirkman sugeriu um arte-finalista pra revisar o trabalho dele (novamente, por que será?)

Liefeld esteve envolvido com o relançamento de suas séries Brigada e BloodStrike pela Image Comics.

Com o sucesso estrondoso do filme de Deadpool e o anuncio de Cable na sequência do longa, Rob Lifeld esteve bastante envolvido com a Marvel onde fez diversas capas de seus personagens e de outros títulos mutante da editora.

Parabéns Rob por nunca desistir do sonho.

Fontes:

Wikipedia

ComicVine

Rob Liefeld Creations

%d blogueiros gostam disto: