Por Marcelo Moura.

Crise de Identidade (2004):

Crise de Identidade é uma minissérie em sete edições publicada originalmente pela DC Comics de Junho a Dezembro de 2004 nos EUA. Escrito por Brad Meltzer, desenhado por Rags Morales e colorido por Michael Bair, foi um dos títulos de maior vendagem da editora, mudando muitos dos conceitos de todos os heróis pós Crise das InfinitasTerras, sempre aparecendo entre os dez títulos mais vendidos. A série atraiu enorme controvérsia ao inserir novas informações no passado dos personagens, incluindo a incrível fase da Era de Ouro e Prata das HQs, que mudavam vários aspectos da história da DC, mas ao mesmo tempo dando um lado sombrio a heróis e vilões, trazendo cada vez mais os personagens para o mundo real e se afastando da Era Clássica onde o bem e o mal eram bem definidos. Enquanto alguns a consideram uma série sensacionalista, que apenas tentou adicionar modernidade e dramaticidade a personagens antiquados, muitos como eu consideram-na uma obra-prima da história das HQs e uma referencia dos quadrinhos que mostra o quão atuais os super-heróis da DC podem e devem ser. Foi a partir desta série que empresas como a DC e a Marvel se distanciaram totalmente no conceito de personagens, que gerou influências até nos cinemas. É fácil enxergarmos o Capitão América, como exemplo, que mesmo sendo um órfão, não tem metade dos problemas mentais e sociais que o Batman, sendo que Steve Rogers sempre foi um menino humilde e Bruce Wayne rico.

Heróis e vilões nunca serão o mesmo:

Em Crise de Identidade, toda a Liga da Justiça é abalada pelo assassinato de Sue Dibny, esposa do Homem Elástico (Ralph Dibny). Ele, juntamente com Arqueiro Verde, Canário Negro, Zatana e Gavião Negro iniciam uma caçada obsessiva ao Doutor Luz. Isso porque é revelado, após a morte de Sue, que o vilão havia cometido um ato aterrador contra ela em um momento em que o satélite estava apenas com ela e desguarnecido.
Durante anos esse grupo de heróis vinha secretamente apagando as memórias dos malfeitores que porventura descobrissem as identidades secretas deles. É mencionado o caso em que a Sociedade Secreta dos Supervilões, composta do Mago, Homem Florônico, Safira Estrela (Deborah Camille Darnell), Flash Reverso e Arrasa-Quarteirão, capturaram membros da Liga da Justiça, precisamente o Superman, Batman, Flash, Lanterna Verde (Hal Jordan), Zatana e Canário Negro (que após Crise nas Terras Infinitas apareceu no lugar da Mulher Maravilha) e trocaram de corpos com os heróis, o que obviamente fizera com que descobrissem as identidades secretas dos mesmos.

Nas histórias normais isso não trouxe consequências mas com na revisão feita pelo novo arco, foi revelado que suas mentes foram apagadas por Zatana, para que as famílias dos heróis não sofressem atentados. Em um momento, o grupo pergunta como o Superman não sabia dessa Liga dentro da Liga da justiça, e é respondido que:”o homem com a mais apurada audição do universo provavelmente não quer entrar no mérito”. O Dr. Luz teria sido o caso mais extremo, pois Zatana lhe aplicara uma espécie de lobotomia mágica, devido ao violneto estágio que se apresentava, o que mudou a sua personalidade, tornando-o um criminoso menor, que era facilmente derrotado pelos Titãs, um grupo de heróis mirins e assistentes das Lendas. A partir daí, há uma grande discussão entre os Heróis sobre ética e qual é o limite para proteger aqueles que se ama e qual o verdadeiro peso de se usar uma máscara.
Flash (Wally West) e Lanterna Verde (Kyle Rayner) que entraram na Liga em uma nova formação, desconfiam das atitudes dos heróis após o misterioso assassinato de Sue e Ralph Dibny acaba lhes revelando o que sabia sobre o Dr. Luz. Certa vez, quando a Liga estava em missão, o Dr.Luz invadiu o QG da equipe, que na época era no satélite e não mais na caverna, através de um dos teletransportadores, para recuperar sua arma, que estava em posse dos heróis. Ao encontrar Sue sozinha no QG, ele acaba por violentá-la. Ralph acha que o assassino de Sue foi o Dr. Luz, mas não sabia de toda a história. Na perseguição o Dr. Luz contrata o Exterminador para defendê-lo e acaba conseguindo escapar.

O que Ralph não sabia, na história que acabara de contar, era o que acontecera logo após o espancamento do Dr. Luze e a captura do vilão pela Liga no satélite. Enquanto estava com a esposa no hospital, os demais perceberam que o Dr. Luz ainda era uma ameaça para Sue e tomaram a difícil decisão de lobotomizá-lo. Durante o desenrolar da história revela-se que não apenas vilões tiveram a mente afetada pelos heróis: Batman voltara ao satélite após o incidente e presenciou a operação feira pela Zatana no vilão. Batman se opõe violentamente, mas é subjugado novamente por Zatana, que temendo que ele revelasse o segredo do grupo para outros heróis, decidem, após apertada votação, apagar aquele momento da mente do Batman e devolvê-lo a Terra. A minissérie continua em torno do mistério do assassino de Sue Dibny que, ao decorrer da história, faz outras vítimas: Jack Drake, pai do Robin (Tim Drake), e o Capitão Bumerangue, um antigo vilão do Flash, que é sucedido pelo seu recém-descoberto filho, Owen Mercer. Após uma longa investigação, Batman e o Dr.Meia-Noite concluem que o assassino era Jean Loring, ex-esposa do herói Eléktron (Ray Palmer).Jean havia encontrado o antigo uniforme encolhedor do herói. Ela o usa enquanto falava ao telefone com Sue, viajando através dos cabos telefônicos até penetrar no cérebro dela. A presença microscópica de Jean acaba por causar um AVC fatal em Sue. Ao retornar ao tamanho normal, Jean percebe o que fizera e para acobertar as pistas usa uma arma de raios para queimar parte do cadáver de Sue, piorando mais ainda a situação, já que ela dá a entender que são retaliações dos vilões aos familiares dos heróis.

Ao ser desmascarada por seu ex-esposo Ray, Jean explica que tinha apenas a intenção de derrubar Sue e com isso, incutir a idéia nos super-heróis de que seus parentes corriam risco. Com este plano, pretendia que Ray desse-lhe mais atenção. Jean pareceu não sentir remorsos, alegando que com a morte de Sue, percebeu que os heróis buscavam suas famílias. E assim ameaçou outros parentes deles, como Lois Lane, e continuou com os crimes, provocando os demais assassinatos. Jean então é internada no Asilo Arkam, Ray Palmer, envergonhado, resolve sumir por uns tempos. No final de tudo, resta a dúvida se Batman se lembrava ou não do acontecido no satélite com o Dr. Luz e com ele próprio. Ramificações da história ocorreram na revista do Flash, após a Galeria dos Vilões se reunir para o enterro do Capitão Bumerangue numa história única de “Contagem Regressiva para Crise Infinita”, bem como na trama de Projeto OMAC e na revista da Liga da Justiça, quando é mostrado que Batman se lembra ao questionar suas memórias durante a história “Torre de Babel”. As suspeitas de Batman o motivam a criar o satélite Irmão Olho para monitorar os heróis, o que se revelaria como um importante fator no subsequente crossover “Infinite Crisis”.

%d blogueiros gostam disto: