Simon Kinberg tentou previamente contar o icônico conto de Jean Grey  com seu roteiro para o X-Men: The Last Stand, de 2006, mas a pressão do estúdio atrapalhou sua história com uma subtrama. Kinberg, fazendo sua estréia como diretor, sentiu no seu íntimo que esta era a história que ele precisava contar quando Bryan Singer, que dirigiu as duas sequências anteriores, se afastou. “[O filme] estava tão claro na minha cabeça, emocionalmente e visualmente, que teria me matado antes de entregar isso para outra pessoa  dirigir”, diz Kinberg.


Em 1992, cerca de 10 anos após os eventos do X-Men: Apocalypse do ano passado, Dark Phoenix abre com os X-Men, incluindo Mystique (Jennifer Lawrence), Beast (Nicholas Hoult), Storm (Alexandra Shipp), Nightcrawler (Kodi Smit-McPhee) e Quicksilver (Evan Peters), em um novo e inesperado papel: heróis nacionais. Charles Xavier (James McAvoy) até pousa na capa da revista Time. Mas seu crescente ego coloca a equipe em risco. “O orgulho está começando a tirar o melhor dele, e ele está empurrando os X-Men para missões  cada vez mais extremas”, diz Kinberg. Depois de serem enviados para o espaço para uma missão de resgate, uma explosão solar atinge o X-Jato e a onda de energia acendeu uma nova força malévola e com fome de poder dentro de Jean Grey.

Baseado parcialmente nas histórias de Chris Claremont e John Byrne, a Phoenix apresentará alguns dos maiores momentos da série até a data, incluindo a primeira viagem do X-Men ao espaço. É também o capítulo mais sinistro e sombrio da saga. “Este é provavelmente o X-Men mais emocional que fizemos e o mais introspectivo”, diz McAvoy. “Há muito sacrifício e muito sofrimento”. O filme se torna uma briga pela alma de Jean enquanto Phoenix ameaça superar sua mente e dividir os X-Men, especialmente Jean e seu mentor, Charles. “É sobre o efeito borboleta dessa coisa acontecendo”, diz Turner, que estudou esquizofrenia e múltiplos transtornos de personalidade para se preparar. “O que acontece quando a pessoa que você ama mais cai na escuridão?”

Este slideshow necessita de JavaScript.

A experiência no set era realmente calma, um adjetivo que não é geralmente aplicável as filmagens de X-Men. Ellen Page acusou recentemente o diretor do Last Stand, Brett Ratner, de comportamento homofóbico e abusivo no conjunto desse filme. Brian Singer também teve seus problemas em 2014

“Eu tinha ouvido histórias dessas coisas”, admite Jessica Chastain, que interpreta uma transmorfa alienígena que entra em contato com Phoenix. “Mas trabalhar com Simon e Hutch ( Parker) e Sophie foi o conjunto mais amoroso, forte e feliz”. E Jennifer Lawrence completa:  “Era irreconhecível. Tudo estava na hora. Tudo estava organizado. Estes filmes sempre foram divertidos em meio ao caos, e agora eles eram divertidos sem caos “.

 

X-Men: Dark Phoenix está programado para chegar aos cinemas em 2 de novembro de 2018.

Fonte: EW

 

%d blogueiros gostam disto: