ESSE POST CONTÉM VÁRIOS SPOILERS DA OITAVA TEMPORADA E DO EPISÓDIO “THE BELLS”

 O quinto episódio de Game Of Thrones é tudo o que estávamos esperando, para melhor ou para pior. Com a aliança nortenha finalmente chegando a Porto Real, Daenerys se prepara para atacar a cidade, disposta a se vingar de Cersei pela morte de Missandei. Antes disso, porém, Daenerys ainda tem tempo de aplicar “justiça” contra Varys, que vem agindo como um traidor desde que descobriu que Jon é um Targaryen.

Eu já disse várias vezes ao longo dessas semanas o quanto o arco de Daenerys tem me decepcionado mas vou dizer novamente porque é inaceitável o que estão fazendo com a personagem. Não porque a personagem deveria ser sempre cultuada ou adorada ou porque seja algo difícil ou inesperado de acontecer. O problema é que, a essa altura do campeonato, transformar Dany em louca é muito mais uma conveniência do roteiro, uma tentativa de fazer Jon a única escolha correta e possível.

 Embora o eco de rainha louca tivesse permeado vários momentos de Daenerys nessa temporada, não creio que a morte de Varys tenha sido um desses momentos. Se ela estivesse mesmo louca não teria matado somente a ele, mas sim Tyrion e Jon, por exemplo. Porém é significativo que o principal defensor dos interesses do reino (acima de qualquer rei) tenha morrido pouco antes da destruição total de Porto Real. E o fato de ser Daenerys a matá-lo deixa a mensagem ainda mais clara: ela não está mais pensando no bem do povo ou dos sete reinos mas apenas em si própria, sua vingança e em alcançar o poder.

Outra coisa que a execução de Varys evidenciou bem foi o quanto Tyrion Lannister tem sido mal aproveitado nesta temporada. Já havia percebido que o personagem está mais fragilizado e sentimental, praticamente o oposto do Tyrion das primeiras temporadas. Seja porque não quer ver mais ninguém morrendo ou porque não consegue aceitar que estava enganado sobre Daenerys, o fato é que Tyrion vem tomando algumas decisões bem tolas nos últimos tempos – confiar em Cersei, por exemplo. 

Apesar disso nunca imaginei que veria um dos personagens mais inteligentes da série e um brilhante estrategista reduzido a fofoqueiro. Não entendi até agora porque Tyrion delatou Varys, sendo que foi o próprio Tyrion  quem contou as notícias a ele. Espero que no último episódio o anão volte a ser o personagem de quem tanto gostamos e faça algo decente antes de ser morto por Daenerys – porque nós sabemos que é isso o que vai acontecer. 

Mas vamos falar da destruição. Agora entendo porque os escritores da série afirmaram que não havia dinheiro para Jon confraternizar com o lobo: todo o orçamento da série foi usado neste episódio, com Daenerys destruindo Porto Real. A questão do sino foi bem previsível mas nem por isso menos dramática ou importante. Era necessário que algo sinalizasse o momento exato em que Daenerys e os Imaculados passaram dos limites – tudo o que ocorreu após o toque do sino é pura loucura. A câmera fechando-se do rosto da personagem pouco antes dela destruir a cidade toda foi muito eficaz em demonstrar isso.

 Pontos para a série em nos fazer lamentar por pessoas que nem conhecíamos antes desse episódio: embora se possa lamentar as escolhas que os roteiristas vem tomando quanto a personagem, não dá para continuar defendendo Daenerys depois disso

 Uma personagem muito melhor trabalhada é Arya Stark que, nesse episódio, esteve mais perto do que nunca de concretizar sua vingança. Poucos metros antes, porém, algo a fez mudar de ideia. Alguns podem se perguntar porque uma simples conversa com Clegane pôde faze-la mudar de ideia sobre algo que tramava desde que era uma garotinha, mas eu prefiro acreditar que ele apenas disse algo que ela já estava sentindo dentro de siAs cenas seguintes, porém, parecem querer demonstrar que Arya é incapaz algo diferente do que tem vivido nos últimos anos, dos sentimentos negativos e desejo de vingança. Não podendo salvar a garotinha, é quase certa que Arya tentará vingá-la ou morrerá tentando. 

   No geral achei um episódio muito bem produzido, com cenas de ação sensacionais. A destruição dos dragões, a luta dos irmãos Clegane, Arya e Jon presos no meio de caos de Porto Real e contemplando os crimes de guerra cometidos por Daenerys e seu exercíto são momentos dramáticos e importantes em meio a uma situação completamente caótica. 

   Mas não posso dizer o mesmo da morte de Cersei e Jamie. Depois de tudo o que aconteceu, assistir a personagem morrer soterrada abraçada com seu irmão e amante é quase um anti-clímax. Quando Cersei surtou e disse que não queria morrer daquele jeito pensei que Jamie fosse matá-la antes da destruição chegar, cumprindo assim a profecia, mas não: Cersei Lannister morreu nas ruínas do castelo, o que me parece uma morte quase inócua para uma personagem que causou tanto mal. Dá para ir até mais longe e dizer que Cersei teve um final feliz, afinal, morreu rodeava pelas únicas pessoas que ama nesse mundo: o bebê ainda não nascido, seu irmão Jamie e, principalmente, ela mesma.

   Domingo que vem teremos o último episódio de Game Of Thrones e, infelizmente, tudo parece conspirar para vermos Jon sentar-se no trono. Vou assistir com esse temor que é quase uma certeza mas, ao mesmo tempo, não posso negar que esta temporada vem se saindo muito melhor do que eu imaginava. Quem irá fazer Daenerys pagar por seus crimes na batalha de Porto Real? Quem se sentará no trono de ferro? São basicamente as principais questões do próximo episódio.

     As coisas parecem estar caminhando a passos determinados para o final e isso tem sido conduzido de uma forma que é, em sua maioria, coerente e nem um pouco apressada. Criticas eu certamente tenho e terei quando tudo terminar, mas, apesar de tudo, tem sido novamente divertido e emocionante assistir Game Of Thrones.

    Que venha a series finale!

    nota 4/5